labelo
Esse é o labelo.

Sua função é a de atrair os polinizadores (abelhas, moscas, pássaros, borboletas, mariposas, beija-flores, morcegos). Os polinizadores são atraídos pelo perfume, néctar e algumas vezes pela cor e forma das flores. O labelo é, em geral, a parte mais interessante e vistosa da flor da orquídea. Nas espécies de Cattleya, ele é grande e intensamente colorido. Nos gêneros Paphiopedilum, Cypripedium, Selenipedium e Phragmipedium, parece um chinelo ou sapatinho (razão pela qual é chamado Sapatinho de Vênus). Nas espécies de Coryanthes tem o formato de um balde e constitui uma verdadeira armadilha para os insetos. Em certas espécies tem a aparência exata de um inseto como no caso das espécies de Ophrys (a flor toda é uma falsa fêmea). Em muito espécies de Pleurothalis, ele é muito pequeno e insignificante. Alguns gêneros possuem um labelo extraordinariamente articulado e sensível ao menor toque (Bulbophyllum).Ele também pode parecer um campo de pouso,como no caso de espécies de Zygopetalum ou uma
bandeira, como a Miltonia e igual a uma saia de ballet, como no Oncidium. Nas espécies de Vanda e Phalaenopsis, ele é menor do que as outras pétalas.Ele pode ser apenas um vestígio como encontramos nas espécies de Masdevallia. O labelo pode ter delgados apêndices nas pontas parecendo antenas ou chifres (como nas espécies de Phalaenopsis do grupo Euphalaenopsis) ou ser ainda dotado de pelos, calos, papilas, cristas, cornos ou outros apêndices. Suas margens podem ser lisas, estriadas ou muito franjadas (Rhyncholaelia digbyana). Estes elementos são essenciais para a classificação das espécies. A parte de cima do labelo é dotada de um tecido carnudo chamado calo , que pode ter saliências, protuberâncias (verrugas), cristas ou papilas.
O labelo tem três lóbulos e algumas vezes os dois laterais se dobram sobre o topo da coluna (escondendo-a) formando um tubo chamado garganta.
O labelo pode ser alongado formando um tubo chamado esporão (como no caso das espécies de Angraecum) que pode ou não conter o néctar
.